sábado, dezembro 19, 2009

Só Nacionalismo é Solução


A expressão “cena digna de filme” não poderia ser melhor aplicada para retratar o que ontem se passou em Taveiro, ao início da noite: uma carrinha de valores, da Esegur, foi alvo de uma emboscada em pleno trânsito, quando descia o acesso para a via rápida, ficando “entalada” entre duas viaturas pesadas. Quase em simultâneo, surgiram indivíduos vindos de arbustos que colocaram e accionaram explosivos junto à carrinha, provocando-lhe um buraco, para retirar dinheiro e fugiram numa outra viatura.
Terá sido a sofisticação da viatura a impedir um roubo de grandes dimensões. As suspeitas centram-se em grupos de criminalidade organizada, transnacional, envolvendo estrangeiros e ex-militares.
Entretanto o Diário de Coimbra continua com mais notícias sobre a modernidade relatando que quatro indivíduos encapuzados e armados assaltaram ontem, à noite, o Intermarché de Condeixa-a-Nova. Não há feridos a registar até porque os assaltantes não chegaram a efectuar qualquer disparo. Tudo aconteceu por volta das 21h30, altura em que já se encontrava pouca gente naquela superfície comercial. Os assaltantes entraram armados e terão obrigado os funcionários a abrir o cofre de onde levaram uma quantidade de dinheiro ainda não divulgada.
Ao que apurámos, os homens falaram com sotaque brasileiro e estariam encapuzados pelo que não era possível dizer qual a sua idade. Além disso, os funcionários ficaram em choque.
O modelo nacional de segurança pública abriu falência e já não responde eficazmente às ameaças modernas e crescentes do crime organizado, gangues violentos, ou até do terrorismo. Para o PNR é imperioso revalorizar a função da polícia, sem meios técnicos e humanos para fazer face ao crime crescente. Este regime é um paraíso para os criminosos e um verdadeiro inferno para os polícias e os portugueses indefesos. O sentimento geral é que os polícias são desapoiados e os criminosos protegidos. É necessário inverter esse paradigma e criar condições para que ninguém, em Portugal, tenha medo de circular em certas zonas do país.
Para os Nacionalistas a defesa da ordem é uma prioridade e a segurança é inquestionável! Para tal, o PNR defende inequívoca e efectivamente a polícia.
Como podemos nós tolerar que o Estado ande a sustentar, com o nosso dinheiro, através de toda a sorte de subsídios e apoios, estes invasores que nos desrespeitam e aos quais ainda por cima têm o desplante de atribuir a “nacionalidade” portuguesa?
Esta é realidade que temos e o PNR defende a sua radical inversão!
Assim, ao invés de desculpabilizar-se os delinquentes, pagar-lhes subsídios e dar-lhes a nacionalidade portuguesa, factos que consideramos um grave atentado aos portugueses e a Portugal, inversamente, defendemos a sua punição penal, o repatriamento, a extinção do reagrupamento familiar, o corte radical e imediato dos seus subsídios e a alteração da lei da nacionalidade (a qual deve ser exclusivamente herdada e nunca dada ou exigida).
Por outro lado, em relação aos polícias o que se verifica é que estes são desautorizados e mal tratados na opinião feita pública. Verifica-se que têm perdido sistematicamente direitos adquiridos e regalias mais do que justas. Verifica-se que a sua idade de reforma é aumentada e não se tem em conta que se trata de uma profissão de desgaste, devido ao trabalho por turnos e de risco. Não se atende aos seus sucessivos pedidos de aumento de efectivos que tanta falta fazem e pelo contrário, o MAI só desfalca o quadro colocando polícias a fazer de guarda-costas ou em trabalhos administrativos (isto já para nem falar na sua utilização na caça á multa…). As esquadras estão vazias e muitas vezes apenas contam com um ou dois agentes de serviço, criando uma situação de tal modo aflitiva em que os criminosos até se sentem encorajados a invadi-las e agredir polícias no seu interior. Os polícias não têm material adequado nem suficiente para fazer face a uma criminalidade crescente e ainda por cima têm que pagar o equipamento com o seu dinheiro, tendo para tal um subsídio ofensivo, de tão ridículo que é. Quando os polícias estão deslocados da sua terra de origem e longe das suas famílias, coisa que sucede em inúmeros casos e por muitos anos consecutivos, onde está a facilidade na aquisição de casa e o seu reagrupamento familiar que se dá de mão beijada aos seus agressores?

1 comentário:

gataescondida disse...

Difícil é comentar....


Cumprimentos.


Gata escondida