sexta-feira, outubro 30, 2009

Novas oportunidades?


Como eu digo, como podem as gerações dos nossos filhos ser competentes, quando a minha geração é desqualificada e foi a formadora deles?
Aos desqualificados, não interessa a qualificação dos alunos… pois que se lhe descobrem os podres…
A educação é um mundo fechado onde reinam os déspotas com poder e sem qualificações!
(Quando convêm arranja-se uma lei limitada no tempo para arranjar equivalências com base nos políticos, que nós aclamamos, e, que depois são parte do problema – Rui Vilar… era dos políticos mais influentes no país á época – continua a ser influente apesar de retirado da política activa, quando foi nomeado para o éden da Gulbenkian) ).

Currículo oficial distribuído:

Ministra da Educação, Drª. Isabel Alçada (Maria Isabel Girão de Melo Veiga Vilar)
Escritora, 59 anos, licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Mestre em Análise Social da Educação pela Universidade de Boston.
Ex-administradora da Fundação de Serralves (2000-2004).
Professora Adjunta da Escola Superior de Educação de Lisboa, exerce actualmente funções como Comissária do Plano Nacional de Leitura.

A realidade:

A Sra. Dra. Isabel Alçada (que além de excelente escritora de livros – currículo profissional – tem a virtude de estar casada com Rui Vilar – currículo político), apresenta como currículo de governante o que está acima.
Cerca de 200 pessoas como ela, frequentaram na (ida) década de 80, um curso de Verão (duração de 02 meses), na Universidade de Boston.
Esses senhores, todos eles ligados às ESE’s - Escolas Superiores de Educação, voltaram para Portugal (depois do estio).
As ESE’s, em pleno desenvolvimento de uma fraude, que foram e são os Institutos Politécnicos, precisavam de mestres para lhes atribuir a categoria de Professores Adjuntos (porque nos Inst. Polit. chega o mestrado para se ser Prof. Coordenador - Topo da Carreira).
Assim, dirigiram-se a algumas Universidade de província (Évora, Algarve, Minho, etc.) para aí obterem equivalência para os seus cursos de Verão de 02 meses - da Universidade de Boston, para mestrados (grau académico acima da Licenciatura).
A certa altura, creio que em 1987 ou 1988, o Ministro da Educação da altura (Roberto Carneiro?) pôs fim a esta vergonha mas, cerca de duas centenas (200) de falsos mestres iniciavam as suas carreiras nos Inst. Politécnicos - IP’s.
Foi o caso da “nossa” Sra. Dra. Isabel Alçada.
E é ela a Ministra da Educação (que decide os destinos deste sector, desta área ou destes assuntos (se assim preferirem) sem importância nenhuma...

Recebido por E-mail

3 comentários:

gataescondida disse...

Ahahahahahaha!!!!

Toda a gente sabe o que foram os mestrados da "Bosta"!!

Iguais à licenciatura do Primeiro Fax.


(Cumprimentos ao Vítor e bjinhos à Eva)

Ludovico Cardo disse...

Eu até me ria... se não fosse Português.

Anónimo disse...

Os mestres que ainda hoje se fabricam nas "universidades" de segunda - de onde os institutos politécnicos se destacam - não vão ser mais preparados do que estes "mestres de Boston". A política é a mesma, o conteúdo idêntico, mas o alcance muito mais vasto. A malta que foi a Boston nos anos 80, vai ter novos colegas e apoiantes para "democraticamente" se auto-legitimar. Assim é o socialismo lusitano, a ideologia da anti-meritocracia e da chicoespertice.