quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Fábrica comprada por 1 euro resiste à crise


A fábrica de confecções de Arcos de Valdevez, que uma trabalhadora comprou há quatro anos por um euro após uma tentativa frustrada de deslocalização, resiste à crise internacional e até já aumentou o número de operárias.
Um exemplo que devia ser aplicada na esmagadora maioria das empresas que a coberto da crise pretendem fechar as portas ou deslocalizar. Se o burguês que dirige a fabrica não tem condições para que ela continue a funcionar,
entreguem-na as trabalhadores eles saberão dar continuidade e viabilidade ao sítio onde ganham o seu pão.
A crise foi provocada pelo sistema, mas o sistema pretende que os trabalhadores paguem a crise. Que em cada empresa em cada fábrica que pretendem fechar, se adopte o mesmo sistema. Piquetes à porta e nem uma caneta deve sair.

1 comentário:

Skedsen disse...

Aqui está um bom exemplo,afinal é possível trabalhar e ter alguns proveitos,desde que haja bom senso e que se tenha noção das coisas.Mas como o espectro empresarial português é muito pra´ vigarice e pró enriquecimento rápido,este exemplo será quase caso único.